Quem pensa que tricô e croché feitos à mão são coisas de velhos está redondamente enganado. Quanto mais o mundo se mecaniza, mais o artesanato, seja ele qual for, fica valorizado. E seu trabalho manual pode chegar a um estágio de requinte bem grande. Basta ter boa vontade e… faturar!

Croché é um trabalho extremamente feminino, que é feito, hoje em dia, por muito poucas pessoas. Mesmo assim, continua sendo tão ap

reciado como antes. Não há uma casa em que não se encontre uma toalhinha, um centro de mesa ou alguns porta-copos de croché. E sacolas, bolsas, tapetões,

Feito por poucos, apreciado por muitos, o resultado é que o croché é hoje um trabalho bastante valorizado. E aprender a fazê-lo não é coisa do além. Ganhar dinheiro com isso é mais simples ainda.

Caso você nunca tenha chegado perto de uma agulha de croché, saiba que a maioria das lojas de armarinhos, lãs e linhas — em todos os cantos do país — costuma oferecer aulas gratuitas de croché e tricô. Para ganhar o curso, basta que você compre o material a ser utilizado nas aulas naquela loja.

Quando você considerar que seu trabalho já chegou em nível de ser vendido, mãos à obra. Comece vendendo toa-Ihinhas para suas vizinhas ou oferecendo como presente às suas amigas. Essa é uma boa maneira de divulgar o seu produto.

Pecas mais trabalhosas, como tapetes, podem ser procuradas até para presentes dê casamento. Outra ideia que vai ajudar a aumentar su

as vendas é um bazar. Se você acha que é capaz de organizar um, chame suas amigas que também fazem croché ou qualquer outro tipo de artesanato.

Cada uma vai expor o que sabe fazer. Depois é só colocar o preço nas peças e divulgar o dia da mostra. No seu prédio, entre os colegas de trabalho ou até mesmo com as mães das colegui-nhas de seus filhos na escola.

As melhores datas para fazer esse tipo de bazar são as que antecedem o Dia das Mães, o Natal e o Dia do Professor. Todo mundo estará precisando comprar uma lembrancinha…

AGULHAS MAIS LONGAS A VEZ DO TRICÔ

Se croché não é o seu forte, que tal fazer tricô? A possibilidade de variações é infinita, e você pode fazer desde casaquinhos e sapatinhos para bebé, passando por roupas infantis, até várias pecas de roupas para adultos.

A maior vantagem nesse

trabalho consiste em não precisar sair de casa, isto é, com alguns pares de agulhas, pode-se produzir coletes, calças compridas, saias e inclusive biquinis. No verão ou no inverno, tricô é algo que nunca sairá de moda.

Se você nunca pegou em um par de agulhas, experimente comprar uma e tenha aulas nas próprias lojas que vendem lãs. Ou então compre revistas especializadas em tricô para aprender os pontos básicos. Com alguma experiência, avance para pontos mais complicados e pa^se a tricotar cardigãs mais elaborados com desenhos ou figuras.

Uma das dicas para fazer bons negócios com tricô é produzir peças por encomenda. É claro que é sempre bom ter à mão dois ou três artigos para apresentar ao comprador. Para baratear os seus custos, vá até os atacadistas de lãs: assim o investimento para confeccionar qualquer peça será bem menor.

A segunda dica seria abrir uma loja de malhas feitas ã mão. Nesse caso, você precisaria de um investimento para comprar o ponto, pagar o aluguel, despesas e contratar pelo menos uma pessoa para tomar conta do local. Naturalmente, as vendas aumentariam,

e para cumprir todos os pedidos seria necessário contratar tricoteiras para dar conta do recado.

Gostou deste artigo? Torne-se Fã do Blog no Facebook!



Deixe um Comentário

Comentários